Páginas

6.7.17

Atenção Primária (APS) e ESF são ideais para a Cassi




Olá prezad@s associados e participantes da Cassi e companheir@s de lutas,


O 35º Boletim Informativo “Prestando Contas Cassi” está disponível na página de publicações do site da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Leiam AQUI o Boletim e divulguem entre os colegas.

A edição deste mês mostra que a Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi está cada vez mais segura de que a Atenção Primária à Saúde (APS), priorizando a coordenação do cuidado, é o melhor caminho a ser trilhado quando o assunto é saúde.


Os boletins nº 34 (AQUI) e 35 apresentam dados que nos dão muitos subsídios para termos a certeza de que não foi em vão termos passado esses 3 anos lutando e defendendo com o limite de nossas forças e inteligência o Modelo de Atenção Integral à Saúde, a Solidariedade no modelo de custeio mutualista intergeracional, a APS/ESF, as CliniCassi, os direitos diversos dos associados, os funcionários da Cassi, o BB como banco público que deve ter responsabilidade com seus trabalhadores e, por fim, a ética na política de representação de nossos pares nos espaços de gestão institucional.

É sempre duro recomeçar as lutas e as defesas daquilo que representamos todos os dias ao longo de anos, porque fazemos a contra-hegemonia das ideias e lugares-comuns na eterna disputa ideológica entre Capital e Trabalho. E vivemos num mundo onde as pessoas, atribuladas e assoberbadas pelo dia a dia do trabalho, não têm a menor noção das coisas de seu verdadeiro interesse de classe.

Com a chegada da "Consultoria" nos próximos dias (ou semanas) paga pelo patrão patrocinador, com as dificuldades crescentes das despesas assistenciais pela compra de serviços de saúde no mercado privado cada dia mais complexo, quase cartelizado, pela judicialização da saúde, pela legislação às vezes injusta com as autogestões, etc, o Plano de Associados da Cassi e a própria autogestão vão passar de novo por todo o processo de disputa ideológica de modelo assistencial, de custeio, de quem paga a conta da saúde e do adoecimento dos trabalhadores que representamos. 

A etapa de luta vencida pela questão do déficit e sustentabilidade que ajudamos a construir (o Banco queria passar a conta só para os associados e mudamos isso) e que gerou o Memorando de Entendimentos e o Acordo com o patrocinador BB, só fez deixar claro que uma batalha foi vencida e que há outra por iniciar na luta pela Cassi. Mas não sei quantas lideranças e associados compreenderam isso.

Agradeço a nossas equipes da Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento, tanto na Sede como nas Unidades e CliniCassi, pela dedicação e por compreender nossos comandos e orientações como gestor responsável. Nossos profissionais são muito bons, vestem a camisa da Cassi e dedicam o melhor de si para cuidar da vida de nossos associados e participantes da comunidade Banco do Brasil (mais de 700 mil vidas).

Muitas vezes, bate um cansaço existencial com os sofrimentos que sentimos pelas guerras nos bastidores. Aí nos lembramos das centenas de funcionários da Cassi nas pontas e no dia a dia se esforçando para atender aos associados que representamos. Me reanimo na hora, porque tenho que me dedicar à causa da Cassi no mínimo como eles fazem diariamente.

Pessoal, leiam os últimos boletins que temos feito e percebam o quanto a Cassi é maravilhosa para os associados e participantes, inclusive para o patrocinador Banco do Brasil, que investe uma quantia modesta pelo que a parceria com a Cassi lhe dá de retorno. Tenho certeza do que estou dizendo, a parceria BB e Cassi é fundamental para ambos.

Abraços,

William Mendes
Diretor de Saúde e Rede de Atendimento

Nenhum comentário: